Naughty Dog fala sobre o porque parou de produzir jogos da série Crash Bandicoot

Naughty Dog fala sobre o porque parou de produzir jogos da série Crash Bandicoot

A relação com a Vivendi Games, Sierra Entertainment e Universal Pictures foi fatal para o caso
#Games Publicado por Billy Butcher, em

Em 1996, a Naughty Dog, subsidiária da Sony e o estúdio responsável por The Last of Us e Uncharted, havia criado uma franquia de jogos que se tornou um clássico do primeiro PlayStation: Crash Bandicoot.

Dado o enorme sucesso do game, ele recebeu mais duas sequências e um game de corrida, todos feitos pela Naughty Dog. Porém, após Crash Team Racing, lançado em 1999 (há mais de 20 anos), a franquia Crash foi passando por diferentes estúdios, recebendo games que não foram muito bem recebidos pelo público, até que, no ano de 2010, a franquia havia “morrido”.

E em 2017, a Activision Blizzard, detentora atual da IP, ressuscitou-a com Crash Bandicoot N. Sane Trilogy, remake da trilogia original, seguindo com um remake de Crash Team Racing em 2019 e Crash Bandicoot 4: It’s About Time, lançado em 2020.

Mas afinal, por que a Naughty Dog parou de trabalhar na série? Essa é uma pergunta que perdurou por muitos anos. A própria Naughty Dog chegou a comentar uma vez, há alguns anos, que apesar de Crash ter sido a série que levou o estúdio ao sucesso, eles não tinham mais interesse na série ou em games de plataforma, tendo como foco produções mais adultas. Uma resposta bem ruim a se dar a seus fãs, não concorda?

Mas enfim, a resposta foi dada, vindas de Jason Rubin, co-fundador do estúdio, em uma entrevista para o site GamesRadar. E a resposta para a pergunta: “Por que a Naughty Dog parou de trabalhar com o Crash?” – é: Por culpa da Universal Interactive (divisão da Universal Pictures).

Se você jogou os games originais de PlayStation, então provavelmente se lembra que cada game tinha introduções bem icônicas, com o logo da Naughty Dog latindo, o logo da Universal Interactive aparecendo na tela, até que enfim o título do game aparecia, acompanhando perfeitamente as músicas de abertura.

Segundo Rubin, a relação entre a Naughty Dog e a Universal na época era simplesmente terrível. Ele não entra em detalhes, mas menciona que a situação era tão ruim que o estúdio não podia trabalhar mais na série. Em suas palavras:

“Nossa relação com a Universal chegou a um ponto em que nós não podíamos continuar a fazer games de Crash Bandicoot. Apesar de nós amarmos Crash Bandicoot amarmos trabalhar com a Sony, não fazia mais nenhum sentido financeiramente. A Universal era a Dona da IP, e havia uma hostilidade ali que era simplesmente brutal.”

Apesar dele não comentar mais sobre isso, o que é possível abstrair dessa declaração era que mesmo que o estúdio continuasse a trabalhar em Crash, a relação com a Universal era tão ruim que não havia vantagem para o estúdio. Sendo a Universal a dona da IP, ela podia basicamente fazer o que quisesse com ela, sem se preocupar com a Naughty Dog.

A Universal Interactive posteriormente se transformou na Vivendi Games em 2003, com a IP indo para a Sierra Entertainment, na época divisão da Vivendi Universal Games, onde daí saiu 3 jogos da série; como sabemos, em 2008 a Activision se fundiu com a Vivendi, se tornando na Activision Blizzard atual, com isso, Crash Bandicoot está na Activision Publishing desde então.

Na época, a própria Universal, conhecida primariamente por seu estúdio de cinema, havia se distanciado completamente da indústria de games. A Activision é então a detentora dos direitos da franquia até hoje, licenciando sua produção para a Vicarious Visions, Beenox e Toys For Bob em seus últimos lançamentos.

A última vez que a Naughty Dog “trabalhou” com Crash foi em Uncharted 4, de 2016, em que há uma cena em que Natan Drake e Elena jogam o primeiro Crash em um Playstation. Mas infelizmente, o próprio estúdio já comentou que apesar de fazer parte de sua história, Crash agora é um capítulo de seu passado.

Felizmente, os últimos games da franquia foram muito bem aceitos tanto por crítica como por público. E Crash Bandicoot 4: It’s About Time é um game 100% novo e 100% fiel a suas origens, o que mostra que o futuro do marsupial laranja nos video games é muito promissor novamente!

Fonte 1: Games Radar+
Fonte 2: Arkade
Billy Butcher
Billy Butcher #BillyButcher

Um grande fã de jogos e filmes dos gêneros Stealth e Ficção-Científica.

Tenho uma paixão imensa pela franquia Metal Gear Solid, na qual considero a minha favorita, porém também sou um grande amante das sagas Halo e StarCraft.

Moderador do Site, Volta Redonda, Rio de Janeiro