Electronic Arts diz que gostaria de ser mais elogiada por como gerencia os estúdios no qual ela compra

Electronic Arts diz que gostaria de ser mais elogiada por como gerencia os estúdios no qual ela compra

Editora diz que ''não recebe crédito suficiente'' por como cuida das subsidiárias que compra
#Games Publicado por Billy Butcher, em

Na indústria de jogos, algo que é bem maleável são os estúdios que as editoras possuem, seja subsidiárias que ela compraram ou montaram do 0 por si mesmas, e conduzir ou gerenciar muitos deles acaba sendo um problema ao longo prazo, claro, caso a editora em questão não saiba ter administrar esses estúdios.

Essas subsidiárias que acabam saindo do controle por muitas vezes são fechadas, e casos não faltam, já vimos Microsoft, Sony, Activision, 2K Games, Rockstar, Square Enix e muitas outras fechando estúdios que não os correspondem como desejado, porém uma empresa em questão, que você já deve saber quem é, passa bastante do controle quando o assunto é comprar e fechar estúdios.

Sim, estamos falando da Electronic Arts, apelidada carinhosamente de ''destruidora de estúdios'', que carrega esse fardo por já ter fechado exatamente 29 estúdios ao longo de todos seus anos de existência, e não qualquer estúdios, mas nomes gigantes como Black Box, Visceral Games, Maxis, Westwood Productions, Pandemic Studios, Origin Systems, Criterion Software, Ghost Games, BioWare Montréal, e dezenas de outros.

Ver Também: Todos os estúdios que a Electronic Arts já fechou

Agora, durante a teleconferência de resultados do primeiro trimestre da editora na quarta-feira, Blake Jorgensen, CFO da Electronic Arts, foi questionado se o recém-lançado F1 2021 estava vendendo tão bem quanto o esperado.

“Acho que superamos nossas expectativas”, respondeu ele.

“Isso não é negativo para a equipe de F1, porque eles são excepcionais. Não tínhamos o negócio por muito tempo, então era mais um caso de poderíamos integrar rapidamente as equipes, nossos esforços de marketing e publicação para tentar conduzir esse negócio tão rápido quanto fizemos?''

“É provavelmente aí que podemos ter algumas perguntas. E, na verdade, superamos isso em muito. E é o testemunho de uma equipe de desenvolvimento de jogos excepcional que foi capaz de produzir os ativos certos, produzir os materiais de marketing certos para nos ajudar a conduzir este negócio e as equipes que trabalham juntas.''

"E sabe de uma coisa? Acho que não recebemos crédito suficiente por isso, mas a Electronic Arts é um grupo de pessoas que realmente podem trabalhar bem juntas. Fazemos um excelente trabalho ao trabalhar com outras partes da nossa empresa. E quando fazemos aquisições, trabalhamos bem com elas.''

Isso é algo realmente muito questionável por inúmeros motivos, como até aqueles que levaram os fundadores da Westwood e Origin a processaram a Electronic Arts em 1999 e 2000, pois mesmo na era de ouro da empresa, quando ele se apelidava de ''EA Games'', a editora já tinha um histórico de ser péssima com seus estúdios, e fechá-los a todo momento se não cumprirem com o que a filosofia da Electronic Arts prega.

Ver Também: As editoras de videogames que mais fecharam estúdios e divisões

“E eu acho que o garoto-propaganda que existe, você olha para a Respawn e vê o que aconteceu com o Apex. Este é um esforço de equipe e Respawn obviamente conduziu o incrível desenvolvimento do Apex, mas eles fizeram uma parceria extremamente bem conosco para conduzir o que agora é, está chegando a quase US$ 2 bilhões em negócios em dois anos.''

“Isso é inédito em nosso setor. E não tenho certeza se vamos receber crédito suficiente por isso, eu realmente não me importo, mas no final do dia, é incrível o que nossas equipes são capazes de fazer.''

Jason Schreier, da Bloomberg, questionou a EA nesse quesito. Sempre que a editora precisa mostrar algum exemplo positivo de jogo ou de estúdio que vai bem dentro da Electronic Arts, sempre e exclusivamente é citado a Respawn Entertainment (autores de Titanfall e Star Wars Jedi: Fallen Order).

O problema é que a Respawn não é a regra, e sim a exceção, sendo exclusivamente o único estúdio que tem uma liberdade maior para agir dentro da editora. Nos dias de hoje, a Electronic Arts possui mais de 40 estúdios em todo o mundo, alguns dos quais foram aquisições. Com o passar dos anos, adquiriu nomes como DICE (Battlefield), Criterion Games (Burnout), BioWare (Mass Effect) e Respawn ( Titanfall).

Só em 2021 a empresa gastou mais de US$ 5 bilhões na aquisição de estúdios, onde adquiriu a Metalhead Software, Glu Mobile, Codemasters e Playdemic, todas em valores bem altos. Quanto ao futuro, a Electronic Arts disse ter US$ 2,4 bilhões para continuar comprando estúdios que estejam disponíveis por ai no mercado.

Ficaremos de olho em qual próxima empresa a Electronic Arts pretende abocanhar para si.

Billy Butcher
Billy Butcher #BillyButcher

Um grande fã de jogos e filmes dos gêneros Stealth e Ficção-Científica.

Tenho uma paixão imensa pela franquia Metal Gear Solid, na qual considero a minha favorita, porém também sou um grande amante das sagas Halo e StarCraft.

Moderador do Site, Volta Redonda, Rio de Janeiro
Publicações em Destaque
#Games, Por greenlantern,
#Games, Por BillyButcher,
#Games, Por coca,
#Games, Por BillyButcher,