Jornalista sofre assédio por sua análise do multiplayer de Halo Infinite

Jornalista sofre assédio por sua análise do multiplayer de Halo Infinite

Usuários não estão contentes com a análise sobre o jogo
#Mundo Publicado por Mister P, em

Não é novidade para ninguém que existe toxicidade na comunidade gamer, seja no Brasil ou em qualquer lugar do mundo. São frequentes os casos de discussões, assédios e ameaças feitas por pessoas que se aproveitam da anonimidade que a internet oferece para despejar seu ódio e frustração por opiniões contrárias às suas.

O mais recente caso de assédio na mídia especializada em jogos envolve a produtora e jornalista do site de jogos IGN e comentarista de Apex Esports, Stella Chung. Em sua recente análise do beta do multiplayer de Halo Infinite, ela apresentou sua opinião sobre o estado atual do jogo no PC, destacando como pontos positivos os belos visuais, desempenho estável e modos de jogo divertidos, mas também apresentou pontos negativos como sistema de recompensas desapontante, que não oferece incentivos bons o bastante para o jogador continuar investindo seu tempo no game. Por fim, em sua análise, ela deu nota 9 para o jogo.

eUVFeTRraWRQRmc=

Graças a essa análise, ela sofreu assédios em sua conta no Twitter. No seu perfil da rede social, ela apresenta os comentários negativos e assédios que vem recebendo. Um dos usuários, com o apelido de "Sony Prophet"(@E3waitfor2020), parece irritado com a análise de Stella Chung, e chega a insultá-la; ainda afirma que ela não joga Halo e que sua análise trata-se de marketing, pago pela divisão de games Xbox, da Microsoft.

A quantidade de pessoas que ainda acham que os críticos são pagos para dar notas boas ou ruins está além de minha imaginação. Tenho sido muito honesta sobre minha experiência com o Halo Infinite, sendo meu primeiro mergulho de cabeça no universo Halo. Esse cara jura que está tentando me ''expor'', mas já sou um livro aberto, então?

Em sua defesa, Stella Chung aponta que, apesar de ser não ser experiente com jogos da franquia Halo, ela jogou cerca de 20 horas do multiplayer de Halo Infinite, e que a matéria que escreveu para o portal de notícias gamer para o qual trabalha não é patrocinada por qualquer entidade, que simplesmente apresentou sua opinião sobre o jogo, e que qualquer pessoa insatisfeita com sua matéria é livre para buscar outros meios de notícia.

Alanah Pearce, atualmente escritora do estúdio da divisão PlayStation, Santa Monica Studios, também resolveu prestar seu apoio à Stella no Twitter.

Ele é um guerreiro de console. Existem hordas deles no Twitter e não adianta respondê-los porque tudo o que eles dizem é de má-fé - o cara QUER que Halo seja mau porque ele é do time do PlayStation. Nada do que você diga fará qualquer diferença na agenda que ele está promovendo.

Infelizmente, esse é mais um caso de assédio na comunidade gamer, onde pessoas são hostilizadas apenas por demonstrarem sua opinião na internet. E você, leitor? O que você acha dessas atitudes? Escreva nos comentários.

Fonte: Twitter
Mister P
Mister P #Mr. Palo

Pessoa com sonhos comuns e ambições comuns

Usuário do Site
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.
Publicações em Destaque
#Games, Por coca,
#Games, Por VSDias55,
#Games, Por coca,